• Agência X10

Exercícios de respiração para acalmar a mente



Como todos nós sabemos, a respiração é essencial para a vida. Não precisamos de pensar para respirar, é algo que acontece naturalmente. Mas, por fazer parte de nós, não significa que seja algo que façamos bem feito, nem que tiramos o melhor partido dela. Na minha opinião, o que torna o trabalho respiratório tão importante é precisamente o facto da respiração poder ser controlada, apesar de também ser automática em nós. Ou seja, ao treiná-la, através de exercícios de respiração específicos, “educamos” a respiração natural.


Uma respiração errada é um dos 10 principais erros que as pessoas cometem no ginásio, e pode ter um impacto negativo ao nível da tensão arterial, fadiga e do rendimento físico.


Respiração é a ponte entre corpo e mente


Podemos afirmar que a respiração é a ponte entre o corpo e a mente (de acordo com o Mestre Tibetano Tulku Lobsang) e, como tal, ela tem o poder de influenciar o estado da mente e do corpo. Um influencia o estado do outro. Por isso, é muito importante termos uma alimentação saudável e um estilo de vida ativo, assim como mais consciência da nossa respiração e mente através de exercícios de respiração e meditação. Estas 3 partes de nós (respiração, corpo e mente) influenciam-se mutuamente, tanto de forma positiva como negativa. Então, se queremos ter mais equilíbrio, temos de dar a devida atenção a todas as partes de nós.


O estado da respiração pode acalmar a mente


Através do estado da respiração, podemos saber como está a nossa mente. Por exemplo, uma respiração superficial e/ou acelerada indica que a mente está agitada, enquanto uma respiração mais profunda e pausada sugere um estado mental mais sereno e focado. Sendo assim, podemos e devemos fazer exercícios de respiração para conseguir uma mente mais calma e focada.

Exercícios de respiração para acalmar a mente


Primeiro passo: aprende a respirar corretamente


Antes de mais, é fundamental aprender a respirar corretamente, fazendo um ciclo completo de respiração profunda e consciente. Segue os passos abaixo:


1º Passo: Inspirar o ar de forma lenta e suave pelo nariz;

2º Passo: Sentir que o ar desce até 4 dedos abaixo do umbigo. O baixo ventre deve

dilatar/encher. O peito não sobe. (nota: aqui deves por uma mão no meio do peito e outra no baixo ventre para sentir melhor.)

3º Passo: Faz uma pequena pausa na respiração (frações de segundo);

4º Passo: Expira pelo nariz ainda mais lentamente (cerca do dobro do tempo da inspiração). Deves sentir o baixo ventre esvaziar;

5º Passo: Faz uma pequena pausa na respiração (frações de segundo).


Exercícios de respiração – Parte 1: Contagem de ciclos



Neste exercício de respiração, deves contar o número de respirações completas que defines previamente. Concentra-te em cada ciclo respiratório e na tua contagem até chegares ao número pretendido. A minha sugestão é começares com oito ciclos respiratórios.


Exercícios de respiração – Parte 2: Contagem de tempos


Neste exercício, deves manter o foco em contar um número determinado de tempos para a inspiração, fazer um ou dois tempos de pausa, e duplicar o número de tempos de inspiração para os tempos de expiração.


Por exemplo: contas três tempos de inspiração, um ou dois tempos de pausa, e seis tempos para a expiração. Define que irás fazer esta contagem, por exemplo, por cinco minutos e, durante esse tempo, deves manter o foco em gerir bem o ar para conseguir inspirar e expirar completamente nos tempos pretendidos. À medida que o exercício se tornar mais fácil, podes aumentar os tempos de contagem.


Fonte: Prozis