• Agência X10

Caminhada na esteira ou ao ar livre?



Seja na esteira, seja ao ar livre, caminhar sempre oferece vantagens. A melhor opção de terreno é aquela que dá prazer e cabe na sua rotina – assim, você não acha desculpa para não treinar. Conheça os prós de cada ambiente


Na rua


· A resistência do vento e pequenas variações no terreno, como subidas, descidas e curvas, exigem mais do seu corpo e colaboram para aumentar em até 15% o gasto calórico.


· Panturrilhas, coxas e glúteos são mais solicitados quando você anda no asfalto, porque a tendência é inclinar o corpo para a frente e trabalhar mais essas regiões.


· O ambiente externo e o contato com o verde, se você caminha em um parque ou praça arborizada, são estímulos extras e tornam a atividade mais dinâmica e relaxante.


É econômico. Um par de tênis adequado é o suficiente para você começar a malhar.

Na esteira


· A maioria dos modelos conta com sistema de amortecimento, o que minimiza o impacto nas articulações e o perigo de sofrer lesões.


· Impedimentos climáticos não existem. Faça chuva ou muito frio lá fora, não há pretexto para faltar no treino. Andar longe do vento e da poluição ainda evita irritação nos olhos e nas vias respiratórias e pode incrementar o seu desempenho.


· Como a máquina realiza parte do movimento ao impulsionar você para a frente, o cansaço demora mais para chegar – o que é útil sobretudo nos treinos longos.


· Permite controlar velocidade, distância, tempo e até a sua frequência cardíaca durante o exercício. Isso dispensa o uso de acessórios como relógio ou frequencímetro.


Entenda o treino


Veja como a instrutora Renata Castro dividiu as sessões de caminhada ao longo da semana e calcule as calorias que você vai gastar.


Segunda e quarta: treino de força com velocidade = 450 calorias (cada um)


Terça e quinta: treino regenerativo = 250 calorias (cada um)


Sexta: treino de força com inclinação = 450 calorias


Sábado: treino longo = 650 calorias


Entre no ritmo


Aprenda a determinar a intensidade do seu treino…


Caminhada leve: você consegue conversar com facilidade, é como se fosse um passeio.


Caminhada moderada: mais acelerada, porém ainda dá para bater papo. Você usa os braços para ajudar no movimento.


Caminhada forte: você começa a ficar ofegante e movimenta bastante os braços e as pernas. É como se estivesse com pressa.


Descanso ativo: você não fica parada, mas caminha sem esforço.





Fonte: Boa Forma